HOMEM É INOCENTADO APÓS FICAR DEZ ANOS NA PRISÃO



Ele foi acusado de estupro e roubo, em 2008, no Rio Grande do Sul

© Reprodução/RBS TV

Há dez anos, Israel de Oliveira Pacheco foi parar atrás das grades por ter, supostamente, estuprado uma mulher, em Lajeado, no Vale do Taquari, interior do Rio Grande do Sul. O reconhecimento da vítima só assegurou, ainda mais, a decisão da Justiça, que o condenou a 11 anos e seis meses de prisão por estupro e roubo. Na terça-feira (18), uma década depois, ele recebeu a notícia da absolvição.

"A condenação estava embasada no reconhecimento pessoal feito pela vítima, que, pela natureza humana, falha. Portanto, está sujeita a erros", argumentou o defensor público Rafael Raphaelli, que entrou com todos os recursos possíveis até chegar na mais alta corte do país.

A determinação de soltura aconteceu em julgamento da 1ª turma do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. "A prova pericial existente fragilizou ainda mais o reconhecimento, que já não foi feito dentro das formalidades que a lei estabelece. O Israel, quando foi reconhecido, foi colocado sozinho para que fizesse o reconhecimento", disse.

Inocência

"Eu fui em mais de cinco audiências. Em todas elas, eu sempre falei. Quem não me escutava era a Justiça", relatou Israel, em entrevista à RBS TV, afiliada da TV Globo. Conforme a reportagem, a Justiça brasileira desconsiderou a prova testemunhal e levou em conta o exame de DNA para absolver o homem.
Compartilhe no Google Plus

Sobre CHICO DUVALLE

Chico Duvalle - Jornalista DRT-MA 1741 / Radialista DRT-MA 1008
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Publicar um comentário