RETROSPECTIVA TEATRAL DA REDE DE TEATRO DO VELHO CHICO - BAHIA



A Rede de Teatro do Velho Chico e os grupos de teatro que a compõe, realizaram em 2019, importantes ações em nome do próprio coletivo. Sempre levando um sentimento verdadeiro de “afetividade” nas suas relações. A união faz essa rede funcionar de forma efetiva e distribuída, onde todos pensam em rede, com o intuito de ampliar a arte teatral pelo interior da Bahia.
Os fazedores de teatro se mobilizaram, se articularam e produziram ações fundamentadas na ética e no compromisso de permanecerem vivos, envolvendo a formação e a difusão da linguagem do teatro, nas cidades de São Desidério, Barreiras, Ibotirama, Santa Maria da Vitória, Igaporã, Caetité, Macaúbas, Ibiassucê e Caculé.
No primeiro semestre de 2019, o foco da equipe da REDE foi na realização da V Mostra de Teatro do Velho Chico em Igaporã. A Rede foi recebida calorosamente pela equipe da Secretaria de Cultura de Igaporã, que cuidou com muito carinho de toda a realização do projeto, o amigo Marcondes Dantas – Secretário de Cultura, Suly Fagundes - Prefeito e Fernando Dias coordenador da Escola de Teatro de Igaporã, foram fundamentais para a plena execução da mostra. A produção teatral local, mostrou como a juventude tem compromisso com o teatro, pesquisando, estudando e fazendo o teatro acontecer no município. A realização da V Mostra impulsionou as produções, além de possibilitar a construção de outras referências teatrais, nesse projeto que já passou por cinco cidades do Estado da Bahia.
A Mostra é pensada e planejada com carinho e cuidado. Mobiliza e apresenta para a Bahia o que há de produção teatral no Oeste e Sudoeste Baiano. As conquistas são qualitativas, pois os grupos têm a oportunidade de apresentar seus trabalhos e de ver outras produções, de fazer trocas, de compartilhar e aprender a cada formato desse projeto estratégico. E os resultados quantitativos se dão através da dinamização espaços públicos e praças, com uma programação de 15 espetáculos, 10 grupos de teatro, 08 cidades da Bahia, 02 estados do Brasil (Brasília e Rio Grande do Norte), atendendo um público estimado em 1.500 espectadores e fortalecendo os grupos de teatro locais de Igaporã, inter territoriais e Estaduais.
No segundo semestre os grupos de teatro da REDE realizaram atividades pontuais em suas cidades, as ações envolveram as produções da região, oportunizando um diálogo/relação teatral entre a Rede. Os eventos como: "Teatro em Cena" de Santa Maria da Vitória – com 10 espetáculos (Território - Bacia do Rio Corrente), produzido pelo Grupo Pachamama; “Natal Cultural” de Ibotirama – com 04 espetáculos de teatro na programação (Território Velho Chico), produzido e coordenado por Diego Quinteiro; “Intercâmbio Teatral” em Macaúbas - com 02 apresentações de Ruth Guimarães de Brasília, com o espetáculo “Velhice Ponto G” e também a PalhaçaCia de Caetité, apresentou “Palhaços no Espaço” (Território Bacia do Paramirim) atividade produzida por Erleide Morais da Cia. Ká Entre Nós; “Intercâmbio teatral” da Secreta Cia de Teatro em Ibiassucê – com 06 apresentações de O Segredo de Nara (03 em Ibiassucê, 01 em Caetité, 01 em Caculé, 01 em Igaporã) e 01 apresentação da cena curta "Falas de quê?" (Estreia em Caculé), 01 oficina “Montando Nossa Cena” na cidade de Caculé, e produziu 03 atividades: A apresentação dos espetáculos “O Malfadado Roubo” da Cia. Imagem e Ação de Caetité, “A Peleja de Zezim Siriema na Feira e o Encontro de Baltazar no Brinquedo de João Redondo” com Gilberto Morais e Shicó do Mamulengo (Ibiassucê), e a primeira reunião de preparação para a VI Mostra de Teatro do Velho Chico com a coordenação da Rede, produção local e poder público (Território Sertão Produtivo);
O Coletivo Dupla de Dois - Caetité, realizou 15 apresentações no ano de 2019. Nos seguintes eventos: V Mostra de Teatro do Velho Chico em Igaporã, I Vivência em Permacultura de Caetité, Projeto Espetáculo na Rua da SECELT/Cté, na sede em bairros periféricos e uma na comunidade quilombola de Mercês, no evento sobre "Protagonismo Surdo", Semana da Criança da Casa Anísio Teixeira em outubro; apresentou ainda no Espaço Imaginário em Rio de Contas; Na praça da República em Valença, e no Natal Cultural de Ibotirama. Promoveu também 03 atividades formativas, 01 oficina de teatro em Brumado; 01 oficina com técnicas de Palhaçaria com a Cia Gatos Pingados de Caetité e oficina de teatro do Oprimido em Valença. (Território Sertão Produtivo);
A Trupe dos Dobradores de Arte em 2019 realizaram um projeto ousado, produzindo e pondo em circulação um show com músicas de espetáculos, o "Bobagens Importantíssimas" que se apresentou em 04 municípios (Caetité, Santa Maria da Vitória, Caculé e Valença) entre agosto e dezembro de 2019. E ainda colocou em prática um ideia de alguns anos com a "Banda de Palhaços Nariz Encantado”, que se apresentou ao menos 5 vezes em Caetité em escolas, espaços culturais e associações. Realizou ainda 08 intervenções e interações artísticas em eventos empresariais (sipatmin) em Brumado e 02 em Caetité; O espetáculo "História de uma Caixola" esteve em cartaz nesse ano realizando 02 sessões em outubro e 01 em dezembro. O projeto de leitura dramática com os Dobradores realizou ao menos 06 sessões de leitura com adolescentes e especialmente em 2019 criamos o "leitinho dramático" que realizou 05 sessões de leitura de texto teatral com crianças. A Trupe realizou 03 oficinas em Caetité, Valença, Caculé em 2019 com o foco na importância da leitura de texto teatral em sala de aula e no dia a dia dos atores e comunidade. Realizou também, após alguns anos de luta a primeira manifestação pública do desejo de trazer para Caetité o curso de Artes Cênicas via UNEB, com o apoio da UNEB de Santo Antônio de Jesus. Os Dobradores fizeram ainda a produção da vinda de oficina e o espetáculo "Gigantes da Montanha" do Grupo Galpão de Minas Gerais, junto a SECELT Cté e produziu a vinda da ‘Outra Cia de Teatro’ com oficina e 02 sessões do espetáculo "Sertão" e também a produção do espetáculo de teatro de bonecos: “As Pelejas de Zezim Siriema na Feira e o Encontro de Baltazar no Brinquedo de João Redondo” da Cia Mistura de Ibotirama.
A PalhaçaCia de Caetité – realizou 04 apresentações, 02 na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, 01 apresentação em Macaúbas e 01 apresentação na V Mostra de Teatro em Igaporã. (Território Sertão Produtivo);
A Cia. de Teatro Mistura de Ibotirama – fez 08 apresentações, 04 do espetáculo “Carranca da Proa do Barco para o Placo” pelas comunidades Ribeirinhas (Ilhas e Aldeia Indígena) através da programação cultural dos festejos da cidade, e 04 apresentações “As Pelejas de Zezim Siriema na Feira e o Encontro de Baltazar no Brinquedo de João Redondo” pela região de Ibotirama, Caetité e Ibiassucê. 
A REDE fecha o ano de 2019 com a formidável realização da V Mostra de Teatro do Velho Chico em Igaporã, resultado de uma linda parceria entre poder público local e de prefeituras da região. Foi também um ano onde os seus componentes, uniram forças e posicionaram-se politicamente sobre a centralização de recursos financeiro destinados apenas para o teatro da capital baiana. A conquista se resume, ou melhor, se estende a 73 apresentações, 18 oficinas e sessões de leitura dramática, tudo isso graças ao sentimento de pertencimento de “Ser” e “Fazer” parte da Rede, a cada ano esse coletivo delimita seu espaço e mostra para o teatro baiano que existe teatro por essas margens.
Uma das atividades mais importantes da REDE é o planejamento do projeto da MOSTRA DE TEATRO DO VELHO CHICO, todos os anos, a equipe cria várias estratégias para realizar o projeto, captando recurso através de editais, apoio de empresas privadas, apoio do poder público municipal e até suas campanhas de crowdfunding. A REDE chegou dia 28 de dezembro de 2019 em Ibiassucê para uma importante reunião com Lindomar de Souza Dirigente de Cultura, Jhow Abreu da Cia. Secreta e Gilberto Morais no município.
Compartilhe no Google Plus

Sobre CHICO DUVALLE

Chico Duvalle - Jornalista DRT-MA 1741 / Radialista DRT-MA 1008
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário