ASSISTÊNCIA: PAZUELLO PARTICIPA DE INAUGURAÇÃO DA MAIOR MATERNIDADE PÚBLICA DO BRASIL E DESTACA EXCELÊNCIA DO SUS



Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara tem capacidade para realizar até 1 mil partos por mês e recebeu repasses do Ministério da Saúde para compra de equipamentos e materiais



O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, participou na manhã desta sexta-feira (11) da inauguração da maior maternidade pública do Brasil. Localizado em Goiânia (GO), o Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara (HMMCC) prestará atendimento e assistência à saúde de mulheres e crianças e tem capacidade para 176 leitos e realização de 800 a 1 mil partos por mês.

Pazuello destacou, em seu discurso, o padrão de excelência da maternidade e dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Não nos falta recursos. Temos que aplicar melhor os nossos recursos, temos que otimizar os nossos contratos, para nós podemos chegar no padrão que Goiânia está presenteando a sua população com essa maternidade. O SUS é a melhor ferramenta que nós temos para a saúde do nosso país”.

O ministro foi aplaudido quando citou a postura do Ministério da Saúde durante o enfrentamento à pandemia da Covid-19 e ressaltou que nenhum estado do país será tratado de forma diferente durante a vacinação da população brasileira.

“Determinei que nós tivéssemos contatos não-vinculantes, memorandos de entendimento, de todas as fabricantes de vacina que se disponibilizem no país. Isso está acontecendo. Nosso Plano Nacional de Imunização (PNI) é nacional. Nenhum brasileiro terá vantagem sobre outros brasileiros. Esse é um compromisso meu, do Governo Federal e do presidente Jair Bolsonaro”, disse.

O Ministério da Saúde aguarda a emissão do registro por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para começar a imunização no Brasil.

O evento também contou com a presença do governador do Goiás, Ronaldo Caiado, que apontou o comprometimento do Ministério da Saúde na aquisição das vacinas: “Pode existir ansiedade em relação à vacina, mas dúvida jamais. O ministro deixou claro que todos os brasileiros têm direito à vida e à vacinação. O Ministério da Saúde é o único responsável pela saúde e pelo plano de vacinação”, disse.

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, lembrou de Célia Câmara, responsável por profissionalizar o mercado de artes em Goiás e que recebeu uma homenagem ao dar nome à maternidade. 

INFRAESTUTURA

Com 15 mil metros quadrados, a maternidade já está pronta para receber gestantes, puérperas e mulheres encaminhadas pelo município. A ala materno-infantil possui salas de obstetrícia, ginecologia, pediatria, leitos de enfermaria, UTIs Pediátrica e Neonatal, Unidades de Cuidados Intermediários (UCI) Canguru, quartos onde mãe e bebê ficam juntos até receberem alta, entre outras instalações. Exames como ultrassom e tomografia, além de consultas, também serão ofertados.

O Ministério da Saúde repassou mais de R$ 16,8 milhões para aquisição de equipamentos e material permanente para a unidade.

ATENDIMENTOS NA PANDEMIA

Por conta da pandemia da Covid-19, o Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara começou a funcionar em abril como unidade de saúde referência para tratamento de pacientes com coronavírus. Em novembro, a maternidade passou a receber também gestantes com suspeita ou confirmação da doença. No período, quase dois mil pacientes foram atendidos.

Até o momento, Goiânia já recebeu do Ministério da Saúde mais de R$ 206 milhões para enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Mesmo com a abertura dos atendimentos materno-infantil, o espaço seguirá reservando com 50 leitos de UTI e 42 de enfermaria para pacientes com coronavírus. A migração completa para maternidade será feita de forma gradual.

Marina Pagno
Ministério da Saúde
(61) 3315-3580 / 2351


Categoria
Saúde e Vigilância Sanitária
Compartilhe no Google Plus

Sobre CHICO DUVALLE

Chico Duvalle - Jornalista DRT-MA 1741 / Radialista DRT-MA 1008
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário