O CANTO


Sou o canto da felicidade em sua plenitude,

Estou presente na vida da família, em cada lar,

Trago comigo palavras de virtude

Também circunstâncias que nos fazem chorar.

Mas por que chorar com canto tão nobre?

Se tal plenitude é verdadeira?

Sou o canto do rico e do pobre,

E tenho lágrima por companheira.

Do casebre humilde a bela mansão,

Conheço sentimentos do lar,

Nos grandes centros urbanos ou no sertão,

Sou a força que leva o homem a amar!

Deus constituiu o homem para viver em família

Tal fato é preciso relatar,

Porém ações indevidas me humilha,

Tentando esta voz calar.

Mas acredito no poder da fé,

Na corrente poderosa da união

Acredito no homem, na mulher,

Acredito na força da canção!

Se faltar a voz para cantar de pé

Cantarei somente com o coração!

Vejo o filho se perder no caminho

Causando sofrimento à família tão querida,

Deixando o abrigo, se isolando sozinho,

Destruindo a sua e outras vidas.

Vejo o pai cansado de lutar,

Ao ver seu filho sem rumo, sem direção.

Desabando a estrutura do lar,

Mas não posso calar a canção!

Vejo a mãe com rosto marcado

Por noites tantas sem dormir

Tendo por companheira ao seu lado,

A certeza da fé que não a deixa desistir!

O investimento feito pela família,

Valores morais, sonhos, felicidade...

São tesouros que a vida compartilha,

Impossível não cantar tal verdade!

Mas,como cantar em meio a tanta luta?

É preciso ouvir a razão,

Deus é a verdadeira conduta,

E o motivo real da minha canção.

Ele refaz a história

E o milagre acontece,

Entre todas as glórias,

Seu amor nos fortalece!


( Fábia Lima )

Compartilhe no Google Plus

Sobre CHICO DUVALLE

Chico Duvalle - Jornalista DRT-MA 1741 / Radialista DRT-MA 1008
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário